sábado, 14 de agosto de 2010

SERES HUMANOS X ANIMAIS: HÁ DIFERENÇAS ENTRE ELES?

A verdade é uma regra que ao ser debatida supera exceções”.

Pensando nisso iremos comparar os seres humanos com animais em relação aos seguintes tópicos, realizando um paralelo a fim de estabelecer o que é verdadeiro:

Alimentação: Genericamente todos, sejam seres humanos ou animais, estão inseridos em uma cadeia alimentar, porém somente os animais respeitam essa regra; sendo os seres humanos uma exceção, indo em contraponto à regra da cadeia alimentar e desrespeitando sobretudo sua própria saúde ao fazer uso de alimentos industrializados e substâncias nocivas.
Estilo de vida: Entre seres humanos e animais existe uma diferença essencial em ralação ao estilo de vida; o que confere aos animais uma maior espontaneidade, característica instintiva dos seres irracionais, como usar somente o necessário para sobreviver; já os seres humanos acabam sendo menos naturais, justamente pela capacidade de raciocínio, fato que nos torna mais imprevisíveis; queremos estudar e construir tudo e com isso acabamos por destruir tudo.
Organização social: A organização social dos seres humanos é bastante complexa, repleta de atividades e atribuições, mas com um objetivo próprio; cada líder de empresa, por exemplo, visa seu próprio lucro, obtendo assim um maior retorno de suas ações e sendo recompensados mais rapidamente; já a organização dos animais é algo bastante espontâneo que se caracteriza única e exclusivamente pelos instintos e posições sociais automaticamente recebidas e executadas, sem ter alguma recompensa a mais, além do próprio alimento e sobrevivência.
Organização do trabalho: Os seres humanos há anos estão inseridos na ideologia da alienação do trabalho, são vítimas da mais valia já conceituada por Karl Marx, que afirmava a humanização das mercadorias e a desumanização dos homens; realidade que certamente não encontraríamos na rotina dos animais, que cumprem suas atribuições de forma espontânea e para sua própria subsistência e subsistência do grupo.
Justiça: A justiça é uma criação dos seres humanos, juntamente com a democracia, uma invenção quase perfeita, mas falha no sentido de não contemplar aspectos que possibilitem o mínimo de dignidade ao homem; já os animais mesmo não conhecendo, nem praticando a justiça e a democracia, têm uma organização bem melhor com relação à justiça, pois eles praticam a sábia “ignorância”, e isso os faz agir de modo justo, resolvendo seus problemas instintivamente.
Razão: Costumamos dizer que somente os seres humanos têm e exercitam a razão, mas se pararmos para pensar perceberemos que até mesmo nos atos instintivos dos animais enxergaremos mais razão e coerência que em atos pensados, planejados e repensados dos humanos, como por exemplo: os elefantes nunca andam em fila indiana, pois se andassem prejudicariam o solo, é instintivo, porém certo, enquanto os humanos, que executam a razão, continuam a prejudicar seu próprio habitat e não pensam sobre parar e tentar consertá-lo.
Instinto: Podemos dizer que tanto humanos quanto animais agem instintivamente, porém nos animais isso nos parece mais explicito, os seres humanos em dados momentos também podem agir “instintivamente”, chamamos isso de inconsciência, mas que na verdade é muito consciente, uma vez que para toda ação que executamos exercemos o mínimo que seja de razão; contudo, a nossa “falta” de instinto nos concede uma maior capacidade de discernimento e com isso podemos nos adaptar as mais diversas realidades, diferente dos animais considerados “instintivos”, isso também nos permite controlar e transformar a natureza em nosso favor, embora não da melhor forma.
Predadores: De acordo com a cadeia alimentar, os animais são predadores de indivíduos de outras espécies, nunca da sua própria espécie, e sempre com o objetivo de obter alimento, sem prejudicar numericamente e significativamente determinada espécie; mas fazendo um comparativo com os seres humanos, nós acabamos por predar os indivíduos de nossa própria espécie, e sempre por motivo fútil ou pura crueldade. Estas são conseqüências e frutos do capitalismo, tendo como resultado a bandidagem que presenciamos todos os dias nos grandes centros urbanos. Com o objetivo de obter mais capital ou poder na sociedade; todavia o predatorismo do ser humano também é devido a outros fatores como a competitividade por altas posições sociais que inibem as pessoas de realizarem suas contribuições honestas para a sociedade e, com isso, acabam por ter que cometer atrocidades, como matar ou roubar.
Utilização dos recursos naturais: Os seres humanos são muitos inferiores em relação aos animais nesse sentido, pois nós retiramos da natureza muito mais do que necessitamos, em contraponto, sabemos muito mais sobre os elementos naturais e com isso sabemos usá-los melhor ou em nosso favor, sendo não necessariamente prudentes ou ecologicamente corretas as nossas escolhas; por isso sofremos com tantos impactos ambientais, já os animais só utilizam os recursos do nosso planeta única e exclusivamente para a sua sobrevivência, sem extrair mais do que precisam e especialmente sem gerar competitividade entre a comunidade.
Relação com o ser transcendente: Sabe-se também que os animais são os únicos seres que servem e obedecem ao ser transcendente de forma plena e inata, ou seja, espontaneamente, já os seres humanos são os únicos que insistem em desobedecer à vontade do ser transcendente, novamente por causa de sua razão, pois esta o força à refletir e chegar a conclusões precipitadas e erradas; os animais, como não dispõem de uma racionalidade desenvolvida como a nossa, podem chegar à respostas corretas, porém com uma demanda de tempo bem maior e é exatamente por causa disso que o nível de tecnologia do ser humano é bem mais desenvolvido, pois, se adorássemos ao ser transcendente dia e noite, dependeríamos dele o tempo todo e não desenvolveríamos nossa tecnologia a ponto de se tornar extremamente nociva à nossa própria espécie e a todos os seres viventes do planeta.

Com essas comparações concluímos que, verdadeiramente, animais e humanos “empatam” quando comparados nas dez questões que citamos, pois quando se ganha em alguns aspectos se perde em outros, ou seja, à medida que o ser humano evolui tecnicamente, ele involui humanamente; e essa é uma verdade completa.

Contudo ainda nos resta uma única pergunta que não quer calar: Quem é melhor? Os seres humanos ou os animais?

PORTAL COMUNISTA - publicação de NATAN PONZONI GALVANI DE OLIVEIRA e WILLIAN DE SOUZA famousstudio_willian@yahoo.com.br

Um comentário:

Lucas disse...

Muito interessantes as comparações, gostei. Mas não concordo com a conclusão. Primeiro, não existe verdade absoluta, apenas verdades parciais. Segundo, eu tenho esperança de que o avanço cada vez maior da tecnologia permita ao homem voltar à sua forma mais "humana", com as energias alternativas, gerando um desenvolvimento sustentável, sem prejudicar o meio em que vive.