quinta-feira, 8 de outubro de 2009

PRECONCEITO ÉTNICO – UM OLHAR SOBRE O BRASIL

O descobrimento, Cândido Portinari.

A origem do preconceito étnico especialmente no Brasil, data desde o nosso “descobrimento”. Os portugueses que aqui chegaram, já muito avulsos, classificaram os indígenas como povos selvagens, providos de péssimos hábitos e tradições religiosas consideradas demoníacas de acordo com os padrões europeus; ao discorrermos o termo “demoníaco”, nos referimos a tradição indígena da antropofagia, que por sua vez era ojerizada pelos portugueses.

No decorrer do século XVII, foi a vez dos povos africanos, que foram covardemente escravizados, o caro leitor há de me desculpar a retórica, mas, por quê motivo, razão ou circunstância deve-se tal escravização? O motivo é simplesmente justificado pela cor da pele de um determinado indivíduo, que vai determinar o lugar que o mesmo deve ocupar na sociedade, se ele deve ser tratado como um ser humano, munido de cidadania e de voz para reivindicar seus direitos, ou se ele será desprezado como um simples objeto sem valor algum, é o caso dos escravos que recebiam tratamentos desumanos, eram no sentido denotativo da palavra, “coisas”, e não seres vivos, que têm os mesmos direitos que quaisquer outros povos e os mesmos anseios por uma vida com mais dignidade, além de serem providos das mesmas capacidades e competências físicas e cognitivas em relação a qualquer outra pessoa, independentemente da sua etnia; o que já está mais do que provado pelo projeto de genoma, ainda no ano de 1985. Portanto isso nos dá o respaldo necessário para lutar contra este preconceito imbecil, um dos fatores determinantes que impedem o nosso país de progredir intelectualmente e culturalmente, o que representa um empecilho ainda maior para o progresso econômico.

Depois da “abolição” do trabalho escravo no Brasil, chegaram os imigrantes italianos para desenvolver um trabalho semelhante ao dos africanos, de forma semi-escrava, mas igualmente humilhante, desumana e criminosa.

Em resumo, nosso país vem sofrendo durante muito tempo, desde a dizimação dos índios na época do descobrimento até a chegada dos povos italianos na década de 1880, e para que isso fique devidamente constado, vejamos que, em 1500, a população indígena nas terras brasileiras oscilava entre 3 e 5 milhões de indivíduos, mas hoje o número não passa de 700 mil índios.

Agora providos de informações necessárias, nos damos o direito de fazer a seguinte pergunta: há possibilidades de um país que nasceu à base do imperialismo português e das políticas de exploração do trabalho escravo ascender-se socialmente, ainda mantendo as mesmas formas de preconceito e de inferiorização étnica do século XVII? Lembrando que o Brasil é um país extremamente diversificado, e isso é justamente o que nos torna originais e favorece o enriquecimento cultural da população, sendo assim, este é um aspecto a ser fielmente defendido pelos brasileiros e motivo de orgulho para toda a população.

PORTAL COMUNISTA - publicação de WILLIAN DE SOUZA famousstudio_willian@yahoo.com.br

Um comentário:

Lucas Abrao disse...

Pra mim o blog n funcionou, deve ser pq tem comunismo no nome